sexta-feira, 17 de julho de 2009

Lancheria do Parque

Se o leitor não conhece a Lancheria do Parque, isto deve ser um sinal claro de que não é portoalegrense, ou, se o for, não merece minhas palavras, e isto por diversos motivos que quem não compreende não deve compreender. Não que eu ache que há algo de especialíssimo neste lugar, o que também não significa que eu não goste dele. Apenas evito babar o ovo por purismo ou tradição.



A Lancheria do Parque fica defronte ao Parque Farroupilha (também conhecido como Parque da Redenção, Redença, Redenga, e outros), se você considerar que aquele parque tem uma frente, e que esta frente é na Oswaldo Aranha. O endereço da Lancheria, então, fica tipo Oswaldo Aranha 1086 (se não me engano). Conheço este bar faz muitos anos, e me sinto um pouco desconfortável tendo como público leitor pessoas que não sabem do que se trata, portanto não darei detalhes demais.



Como é um estabelecimento que goza de certo prestígio e reconhecimento da comunidade, é conhecido já por diversos apelidos. Entre meu grupo de amigos e conhecidos referimo-lo como "Lanchéra", mas já vi diversas outras ocorrências, dentre estas a curiosa "Banheirão", por causa dos azulejos que revestem (e, suponho, sempre revestiram) as paredes do lugar. No mais, não há muito o que dizer sobre o local, exceto que é muito bem localizado e com estacionamento relativamente conveniente (nas áreas azuis da Oswaldo e cercanias - Fernandes Vieira, João Telles, etc.). A chapa do xis fica atrás do balcão, bem visível, assim como os displays de frutas frescas e um daqueles negocinhos de acomodar salgados (pastéis, empadas, etc.). E há uma cozinha aos fundos. Perto da porta está o buffet.

Não é um lugar que tem ênfase no xis, e justamente por isso fui criticado ao anunciar que o criticaria neste blog. A lanchéra serve Carreteiros, Bifes à Parmegiana, Alaminutas, torradas, e toda sorte de comidas de se comer na rua, além do buffet (livre com 1 carne, mais ou menos 6 pilas, dependendo do dia). O melhor prato da casa é o pastel (R$ 1,80), sempre de carne (não é necessário especificar o sabor, suponho que só haja de carne). Ele não é feito na hora mas acho que sai de hora em hora. É muito recheado com carne moída (que lembra muito o hambúrguer da casa), ovo e tempero verde, e é do formato tradicional meia-lua, tamanho standard.

Pois pedi o xis bacon, e um suco de laranja, banana e maçã (dividi o suco com a alemoa, R$ 2,70). A alemoa fui ao buffet (com uma carne extra).

O tamanho do xis não amedronta, ele é prensado e tem cerca de 2,5cm de altura. O estudo posterior revelou 75% de recheio nessa polegada. Ótimo. Os ingredientes são pão, maionese, milho, ervilha, alface, tomate, um ovo frito, queijo mussarela, hambúrguer e bacon. A maionese estava um pouco em excesso, às vezes deixando-se ver envolvendo completamente os outros elementos. Ela é gostosa, embora um pouco ácida para mim. Entretanto, não caberia aqui fazer a maionese mais salgada, como veremos a seguir. O milho e a ervilha praticamente sumiram.

O alface é em pequenos pedaços irregulares, e como principal defeito apresentou um pouco de talo em excesso. O tomate é em cubinhos e quase sumiu. O ovo tem a gema consistente, bem cozida, de cor amarelo-claro, e é coberto por (julgo) duas fatias de queijo. O xis, de baixo pra cima, é: pão (bem fininho), maionese, milho, ervilha, bacon, carne, bacon, ovo, queijo, tomate, alface, maionese e pão.

O hambúrguer tem cerca de meio centímetro de espessura e estava um pouco mal-passado, de cor rósea (o que não é lá muito bom pra carne moída, mas pelo menos não estava torrado, o que seria fatal). Não é muito temperado e cumpre mais um papel de textura do que de sabor.

A principal estrela do xis, é, como seria de se esperar, o bacon. Ele é mais parecito com a pancetta italiana do que com o bacon americano. É apresentado em pedaços altamente irregulares, variando de cubinhos a tirinhas, pelancas e fiapos de carne defumada. Algumas partes lembram o sabor do presunto. Ele aparece por baixo e por cima do hambúrguer, e rouba a cena em todas as mordidas ("mordidas" lato sensu, visto que é um xis "de prato"). O único problema é que ele poderia passar um pouco mais de tempo na chapa (o que, na ocasião, era viável, visto que eram quatro e quinze da tarde e o xis chegou em 5 minutos, mas que seria incoerente num Domingo). Às vezes ele parece demasiado "forte", salgado e de presença, mas quem não quer bacon num xis bacon?

Embora de tamanho normal, é um xis incrivelmente gordo e pesado, de sabor incrivelmente marcante e intimidante, definitivamente um xis que, inteiro, seria só para os iniciados (os demais satisfariam-se com meio). Ainda sobre este ponto, eu e minha prima Stephanie, que deve ter mais ou menos uns 11 anos (sou péssimo para a idade de crianças, desculpem-me), uma vez pedimos um inteiro pra cada um, ela ajudou com suco de laranja (natural, cerca de R$ 2,00) e eu com coca-cola (naquelas garrafinhas de vidro que todo mundo acha A MELHOR DE TODAS, R$ 1,80), e nós conseguimos mais ou menos 75 por cento (ela é páreo duro, minha família não é brincadeira). Mais uma curiosidade: meu amigo Pedro Garcia costumava (e, suponho, ainda costuma) ir à Lanchéra em horários pouco movimentados para instruir o chapista (assim ó: ele pedia o xis pro garçom, e quando o garçom berrava "X-Bacon!" ele chamava o chapista e falava "Frita bem o bacon", ou mesmo pedia direto pro chapista e depois pedia pro garçom anotar) a respeito do xis.

Em suma, a lancheria pode ser um bom lugar para ir com nossos amigos barbudos, carecas, tarados e etc. a fim de sublimar as tristezas quotidianas com porco frito, embora não seja o lugar ideal pra isso, visto que não se pode fumar e nem agir como um bêbado fanfarrão, devido ao clima iminentemente semi-familiar bomfinesco (os portoalegrenses entenderão), e também pode ser um bom lugar para levar a mina (mesmo que sua mina seja meio fresca (se ela for MUITO fresca pare de ler agora e vá conversar naquele canto junto com os vegetarianos)), com o propósito de fazer a preza deixando ela comer salada, pastel, bife ou sucos naturais enquanto nos afogamos no êxtase junkie que fica grudado nas chapas de Porto Alegre e só é extraído mediante inúmeros esfregões de carne, gordura, sal e aquelas espátulas afiadíssimas que talham lombos, corações, hambúrgueres...

Desculpem a digressão, *ahem*. É um bom lugar pra levar a mina e deixar ela comer o que quer (e também é um bom avaliador: dá pra levar uma mina semi-conhecida e ver o que ela pede, pra ver se ela é digna de atenção - embora eu não seja adepto desta prática, visto que prefiro levar sempre a mesma mina) e pedir o que se quer também (o carreteiro serve dois e é bom, R$ 17,00 - eu acho), sem necessariamente se afogar na banha. Também não é o lugar IDEAL pra se levar a mina, visto que a iluminação é branca estilo fast-food, e meio cheio às vezes, e acotovelante, e pode ser difícil arrumar lugar pra sentar - em suma, ninguém vai ficar a fim de transar ali. E tem a grande desvantagem da proibição do fumo.

Então, a Lanchéra não é o melhor lugar pra nada, mas está bem longe dos piores. É um bom lugar pra ir quando se está nas redondezas, e quem não conhece certamente deve visitar. Se alguém quiser pedir outro xis e depois enviar suas impressões via comentários, é bem-vindo. Se quiser descrever mais longamente o que achou, crie seu próprio blog e depois aguente minhas acusações de ter roubado minha idéia.

Principais problemas: não pode fumar, muito cheio (às vezes, em horários bem definidos), não pode fumar, o bacon podia ser um pouco mais frito, não pode fumar, podia ter um pouco mais de queijo, não pode fumar, o pastel está caro, não pode fumar, muita maionese, não pode fumar, pouco milho e pouca ervilha (sutilmente), não pode fumar. Principais coisas massa: alta chance de encontrar algum amigo, xis saboroso pra caralho, outras opções de rango, muito variadas, suco bom e barato, não é caro, tem um monte de bebida, dá pra beber legal (se for não-fumante), é bem perto das festas e fica aberto até mais tarde (não muito)

Nota final: 9,2*

*Eu gostaria de esclarecer, aqui, que a nota se refere tanto ao xis em si quanto ao estabelecimento em geral, com mais ênfase no primeiro (por exemplo, se eu for dar nota a dois xis diferentes do mesmo estabelecimento, a nota pode diferir bastante, pois o xis importa mais).

Mais uma nota: inauguro, hoje, o sistema de tags, assim, conforme cresce nosso corpus de análise, ficará mais fácil encontrar xis-calabresa, xis-bacon, ceva gelada, etc.

Outra coisa (a última): o número de pessoas que comentou no blog foi infinitamente menos do que o número de chatos que reclamaram que não tinha comentários, espero que vocês pensem sobre isso enquanto vão tomar no *fiu* (essa a alemoa riu, todo o resto achou sem graça).

3 comentários:

Débora Caetano disse...

é, não pode fumar.
Só isso fode tudo.

johnny & nanda disse...

totalmente precisa a coluna, admiravel.

dos sucos,
curtimos mamao com laranja, ou as vezes uma batida de abacate

algo que lembramos foi que eles tem também doce de tudo que é tipo. ou seja, na sobremesa o visitante incauto nao fica mal.
tem coisas bem raras nesse aspecto: o classico negrinho da lanchera, que é um dos melhores e mais fresquinhos do mundo, o chocolate em barra. o quindim, direto de pelotas, e a paçoca hamburguesa, especiaria barata pra caralho.

outra coisa ruim do estabelecimento: NAO PEGA CELULAR!

e nao pode fumá.

a ceva também é meio cara.

o negócio é comer e sair correndo!

Fagner disse...

Sou da Zona Norte de Porto Alegre
Parabéns pelo blog.
Sempre quando eu posso eu volto aqui.
Abraços

www.zonanortepoa.com.br - Zona Norte, Porto Alegre